NOTÍCIAS - Rio +20: indústria revela ações pró-sustentabilidade


Rio +20: indústria revela ações pró-sustentabilidade
Publicada em :15/06/2012

Sophia GebrimO Brasil vive um processo inédito de mobilização dos mais diversos setores em prol do desenvolvimento sustentável. A indústria nacional, comprometida com as questões ambientais, busca desenvolver ações sustentáveis e caminhos inovadores de crescimento econômico. Neste contexto, representantes do setor reuniram-se na manhã desta quinta-feira (14/06), no Hotel Sofitel Copacabana, no Rio de Janeiro, para o Encontro da Indústria para a Sustentabilidade. O objetivo do evento, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), é discutir temas em pauta na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) e o papel do setor industrial no processo de desenvolvimento de ações sustentáveis.O presidente da CNI, Robson Braga, entregou para cada um dos participantes do evento um documento inédito elaborado pela entidade empresarial com o relato de como o setor inovou nos últimos anos na produção eficiente e na redução do consumo de recursos naturais. "Queremos apresentar para a sociedade e representantes do governo as importantes conquistas obtidas pela comunidade industrial nos últimos anos", salientou. O texto reúne iniciativas de 16 setores e do sistema indústria nos últimos 20 anos, mostra que o setor produtivo mudou a forma de produzir para reduzir o impacto da atividade no meio ambiente, usando recursos de maneira mais sustentável. Como resultado, o Brasil hoje pode contar com fábricas menos poluentes, mais eficientes no consumo de energia e que encorajam soluções melhores para o uso da biodiversidade.Uma das inovações apresentadas e que gera mais sustentabilidade ao setor industrial pode ser constatada no caso do segmento de máquinas e equipamentos. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) mostram que 90% das empresas do setor adotam políticas que visam minimizar o impacto ambiental e mais de 60% das grandes empresas têm certificação ISO 14.001 (certifica o sistema de gestão ambiental de uma companhia). A Abimaq criou, ainda, em 2009, o projeto Carbono Zero, que incentiva a adoção de medidas para reduzir as emissões de gás carbônico.SUSTENTABILIDADEO relato da indústria de cimento reforça o empenho do setor na busca por sustentabilidade. Dados da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) apontam que o setor se destaca em eficiência energética. Por meio de coprocessamento utiliza resíduos (como pneus e biomassa) na produção de energia como combustível alternatico em fornos de cimento. Também foi constatado que, de um total de 870 mil toneladas de resíduos provenientes de diversos setores, 672 mil toneladas são utilizadas como insumos energéticos e 198 mil como substitutos de matérias-primas. Além disso, o setor vem atuando, nos últimos 20 anos, na recuperação de áreas de extração de minérios não-metálicos."É absolutamente importante que a gente possa compreender e conectar-se com a agenda da indústria para a promoção do desenvolvimento sustentável do país", disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, na abertura do evento. Para ela, não só esse encontro com a indústria mas também a Conferência Rio+20, como um todo, é grande oportunidade e um chamado para que sociedade, governo e organizações desenvolvam ações concretas de sustentabilidade.A ministra também reforça a ideia  de que não são somente mais três pilares: econômico, social e ambiental, mas sim um único pilar reconhecendo que é preciso avançar numa interlocução democrática. Na sua avaliação, nunca se viu tamanha mobilização da sociedade a favor de iniciativas sustentáveis. "Nos últimos 20 anos, no último encontro dessa amplitude (que foi a Eco 92), não tínhamos uma sociedade e setor produtivo tão engajados nas questões ambientais".INOVAÇÃOPor fim, a ministra ressaltou que o grande incentivo para o alcance da sustentabilidade na indústria brasileira foi a inovação. "Como vimos aqui nos exemplos destacados pelo setor, o desenvolvimento de novas práticas reduziu custos, aumentou a renda e gerou novos empregos". São novas práticas que, além de preservar o meio ambiente e a biodiversidade, geram receita e atendem às exigências do mercado consumidor.Também participaram da abertura do encontro  o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC), chefe da delegação do Congresso Nacional para a Rio+20, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf e o vice-prefeito do, Carlos Alberto Muniz. Em nome de todos os setores industriais presentes no evento, o presidente da CNI definiu o encontro como "a maior e principal reunião de empresários da indústria brasileira na Rio+20".


Confira Notícias Relacionadas
- O reúso industrial da água ganha debate no Brasil
- Fundo Clima aplica R$ 7,5 milhões em 2015
- Semiárido terá sistema de controle de desertificação em dois meses
- Rio +20: indústria revela ações pró-sustentabilidade
- Ser humano é o maior culpado pelo aumento de incêndios florestais




O que fazemos Quem somos Multimídia Participe Colaboradores
    Fotos
Vídeos
Papéis de parede
Twitter FaceBookFlickOrkutYoutube Contato
Fique Atulizado Movimento Ambiental online      
Blog
Outros
Twitter
Facebook
Youtube
Orkut
   Ibama Fatma Fundema

© Movimento Ambiental
Rua Nove de Março - 737 - Cep: 89201-400 - Centro - Joinville - SC.
Telefone:(47) 4101-6261 / 4101-7010 
Desenvolvido por: Prof Miguel Silva